UCPel aprova programa de extensão voltado ao tema da cidadania ativa


918  18 de março de 2021

A Universidade Católica de Pelotas (UCPel) aprovou um novo programa de extensão para 2021, intitulado Formação para a Cidadania Ativa e Transformação Social. A iniciativa é ligada ao curso de Serviço Social e ao Programa de Pós-Graduação em Política Social e Direitos Humanos, tendo uma série de atividades planejadas para os próximos meses.

Conforme pontua a coordenadora Vini Rabassa, o programa funciona como uma ponte entre a extensão e a pesquisa, contemplando a participação integrada entre acadêmicos de diversos cursos de graduação e pós-graduação. “O objetivo é provocar, organizar, reforçar uma participação mais ativa e mais qualificada das pessoas nas politicas sociais”, comenta.

A equipe de trabalho consiste em bolsistas remunerados e voluntários de diferentes cursos. Entre os participantes, estão acadêmicos do Serviço Social, Direito, Jornalismo, Pedagogia, Odontologia e Medicina. Também estão envolvidas a professora Mara Rosange Medeiros, do curso de Serviço Social, e as técnico-administrativas Márcia Rodrigues, Catiane Corrales e Patrícia Frank, além de algumas organizações externas.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail da coordenação: vini.silva@ucpel.edu.br. As reuniões regulares do programa já iniciaram e ocorrem toda segunda-feira, às 17h, de forma remota. As inscrições para participação como bolsista foram encerradas.

 

Projetos e ações para 2021

O novo programa se divide em dois projetos. O primeiro deles leva o nome Cidadania Ativa e Políticas Sociais, com o propósito de fortalecer a participação de trabalhadores, usuários, conselheiros e também de práticas institucionais.

Neste sentido, estão previstos minicursos e um fórum permanente de políticas sociais, além da continuidade dos encontros virtuais sobre saúde e assistência em defesa da vida e contra a Covid-19. A primeira ação deste projeto será no dia 5 de abril, com live sobre a importância dos conselhos municipais.

O segundo projeto, “Rede Interinstitucional contra a Violência de Meninas e Mulheres”, é motivado pelo aumento de casos de violência doméstica registrados ao longo da pandemia. Em parceria com grupos da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), pretende-se desenvolver materiais educativos e divulgá-los nas comunidades e nas redes sociais. A criação de um banco de dados sobre a violência nos municípios de Pelotas, Jaguarão e Rio Grande é outra meta a ser cumprida pelos participantes.

Os projetos ainda contam com a participação de dois grupos de pesquisa da pós-graduação da UCPel, sendo eles o grupo Política Social, Cidadania e Serviço Social e o grupo Política Social, Programas de Transferência de Renda, Gênero e Pobreza.

 

Redação por: Rafael Mirapalheta

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado.

*
*